Welcome Onboard

setembro 29, 2015 às 11:00 am | Publicado em Uncategorized | Deixe um comentário

195dfa1045f25fd83924ea1ca0c4ab62

Como eu também já contei aqui existe todo um processo no primeiro dia a bordo. Não importa se é sua primeira ou décima quinta vez, se você é garçon ou da ponte de comando, todos passam pelo mesmo processo. Primeiro é feita a verificação dos seus documentos, ainda fora do navio, para saber se tudo está válido e correto. Depois disso, você autorizado a entrar no navio, e se dirige ao crew office, onde vão te dar um monte de papel pra assinar, mas um monte pra você ler e guardar, a chave da sua cabine e seu name tag. E então começam as familiarizações. A primeira e mais importante é de segurança, onde você vai aprender um pouco sobre o navio em si, os procedimentos em caso de emergência, telefones úteis, como agir em caso de emergência, onde fica seu ponto de reunião e outras coisas. Ainda no quesito segurança, você também vai ter uma familiarização com o chefe da segurança, que vai te dizer o que é permitido ou não trazer e fazer a bordo, sobre procedimentos de entrada e saída do navio.

Além da familiarização dentro do seu próprio departamento, onde você vai conhecer seus supervisores e área de trabalho você ainda tem uma com o Recursos Humanos. Essa última é relativamente nova e vem com a atualização e crescimento das cias de cruzeiro. Essa parece a mais simples das conversas que você vai ouvir, mas acredite é importante. É ali que você vai entrar em contato com todo o procedimento a bordo. Algumas informações são novas, outra nem tanto. Pelo menos para mim não é novidade que eu tenho que tomar um banho por dia COM SABONETE, trocar as meias e roupas intimas todos os dias, mas conheci quem não o fazia. Mas não sabia que não posso usar o cabelo solto no rosto nem pintar as unhas com cores fortes.

No geral, são muitas informações para um primeiro dia, especialmente se é a sua primeira vez, mas não se preocupe, o Recursos Humanos principalmente está sempre com as portas de seu escritório abertas para aqueles que tem o real interesse pela vida a bordo. Perguntar não ofende, e eles ficam mais que felizes de te ajudar. Mas faça a sua parte, leia todo o material que receber no primeiro dia. Descrição da sua rotina de trabalho, manual de segurança e normas. Muitos dos tripulantes novos acabam recebendo advertências por falta de conhecimento ou distração nos primeiros dias. Melhor não arriscar.

Anúncios

Do you speak english?

setembro 27, 2015 às 2:30 am | Publicado em Uncategorized | Deixe um comentário

bcbc2f42e6a1af3f4165d6069879065c

Eu já toquei sobre esse assunto aqui, mas sempre vale a pena ressaltar. Inglês é sim necessário! Você não precisa ser o fodão, formado em Letras ou morado no exterior. Você precisa compreender e falar o básico, ou seja, se comunicar. O porque disso é muito simples, não importa se você lida com passageiros ou não, no caso de uma emergência, todos os procedimentos são indicados no sistema de auto falante em inglês. E por experiência própria de quem já passou por algumas emergências, uma dele muito séria, se você já não fala inglês e ainda está nervoso por não saber o que está acontecendo nem o que fazer, a coisa pode ficar feia.

Em cias como a Pullmantur, onde os passageiros em sua maioria são espanhóis, tem muito crew e staff que não fala nem entende nada. E toda vez que tem um anúncio, ou até mesmo um treinamento, fica te perguntando o que está acontecendo. Essa tolerância com a falta do inglês está diminuindo dia após dia. Já vi algumas pessoas serem demitidas por não entenderem ordens de supervisores e até mesmo por não entenderem o que está sendo explicado nos treinamentos de segurança a bordo. Depois do acidento com o Concórdia, segurança é um tema que vem sido tratado muito mais a serio. Eu que comecei antes do acidente, vi essa transição bem clara.

Se o seu inglês é ruim, hoje em dia existem apps para todos os tipos de smartphones, sites e livros em bancas de jornal que podem te ajudar. Procure literatura diretamente conectada ao seu posto de trabalho para facilitar a conversa com o passageiro ou até mesmo com seu supervisor. As livrarias e a internet estão cheias de conteúdo para quem trabalha com hotelaria. O interessado é você, e como eu disse no post anterior, muitas vezes somos tratados como um número, se você não dá o seu melhor, pode ser que eles encontrem alguém que dê mais o que eles querem. Se é o que você quer e gosta, como eu, corre atrás que você será recompensado.

Dica da Marina: arrume um boyfriend que não fale português e o inglês vem facinho! 😉

O desastre do STCW (ou CBSN)

setembro 26, 2015 às 2:22 am | Publicado em Uncategorized | 2 Comentários

cbsn1

Para quem chegou agora e não sabe o que é STCW, agora no Brasil mais conhecido como CBSN, nada mais é do que o certificado reconhecido internacionalmente e exigido para que nós, tripulantes não-aquaviários, possamos prestar serviços em embarcações. Para o meu desespero, essa coisa vence com cinco anos, o que para mim seria muito justo se você ficasse um tempo sem embarcar, e para relembrar fizesse o curso outra vez. Para mim que passei os último cinco anos embarcada foi uma perda de tempo, dinheiro e paciência.

Logo que desembarquei, em agosto, sabia que teria apenas 2 meses de férias, e que o certificado normalmente leva 30 dias para sair. Como também tinha que renovar o passaporte, corri para resolver essas coisas na minha primeira semana de férias. Passaporte agendado e curso em andamento, fiquei mais tranquila. O passaporte saiu muito antes do previsto, o que foi uma benção, mas eu não contava com a demora no certificado do CBSN.

Com apenas 2 semanas depois do término curso, que são apenas cinco dias de aulas práticas e teóricas de salvatagem, combate a incêndio e primeiros socorros, começaram a pipocar na internet pessoas reclamando da demora da expedição do certificado. Detalhe: SOMENTE NO RIO DE JANEIRO.  Muita conversa, muito grito, muita bateria de celular depois, descobrimos que o atraso está na Capitania dos Portos do Rio de Janeiro, que está com mais de quatro meses de certificados de todos os tipos, navios e plataformas, empilhados e acumulando poeira. O porque, ninguém sabe.

Eu estou comendo as unhas e os dedos de nervosismo, pois a minha data de embarque se aproxima e nenhuma boa notícia chega. Então ontem tomei a decisão de contratar um advogado para evitar o atraso no meu embarque. Como eu já contei aqui, fui promovida uma outra vez, e agora ocupo uma posição que tem apenas uma por barco. A pessoa que eu vou substituir está contando que vai sair de férias no dia em que eu chegar. Se eu não puder ir, vão mandar outra pessoa e eu ficarei em casa chupando o dedo e vendo o dólar alcançar os céus, esperando uma recolocação em outro barco.

Tá pensando que é mole? Como somos prestadores de serviço, temos que contar com a gente e nada mais. Infelizmente somos apenas um número para as cias, e se você não está disponível na data que eles desejam, eles procuram alguém que esteja, e você vai para o fim da fila. Então melhor correr atrás agora do que esperar pra ver o que acontece. Espero sinceramente que meu advogado, a Shelter (empresa que me deu o curso) e a Capitania entrem em um acordo e eu possa ter em mão meu certificado para poder embarcar na data prevista.

A lição coleguinhas é não deixa correr frouxo, que no fim quem se fode é você.

Blog no WordPress.com.
Entries e comentários feeds.