Waiter/Ass. Waiter: O que Levar?

outubro 15, 2015 às 4:15 am | Publicado em Uncategorized | Deixe um comentário

collage

Existem coisa ultrasupermegablast importantes de levar num primeiro contrato (e nos posteriores também). Mas a gente só aprende na marra. E pra facilitar a vida de vocês, com a minha experiência, te digo o que é super necessário se você está indo trabalhar no Dining Room.

Sapatos: em cias como a Costa você tem que usar o sapato que eles te fornecem, em outras cias tem que levar o seu próprio, mas ele deve ser adequado para o trabalho que você fará. Esse feioso da foto acima é o mais usado. Ele é antiderrapante, muito confortável, completamente fechado para evitar acidentes e bem feio. Mas é o melhor. Eu já usei muito essas linhas confort como usaflex e derrapa no molhado, e ainda dura pouco. Esse daí você vai comprar um que vai durar o contrato inteiro.

Saca-rolhas: esse modelo ai da foto é o popular a bordo, e mais fácil de abrir a garrafa. Como eu já contei aqui, o procedimento para abrir um vinho, especialmente os caros, é de jamais tirar a garrafa da vista do passageiro que a ordenou, e nunca apoiar em nada para abrir. Essa mágica só é possível com esse abridor da foto. Eu aprendi, com muita prática, a abrir uma garrafa em menos de 15s. Tem que treinar!

Trapo: Quem já trabalhou em restaurante antes sabe do trabalho de que dá polis as taças e copos. Para facilitar a tarefa nada melhor do que a ferramenta apropriada. Na foto você consegue ver bem a textura do paninho especial para limpar vidros. Esse é salva-vidas mesmo. Porque depois de dois turnos, quando você descobre que todas as suas taças limpas tem marca do dedinho gordo e engordurado do pentelhinho que estava sentado na sua mesa, se não tem esse ou outro trapo, vai ficar polindo copos até o café da manhã do dia seguinte. Muito amor por esse pedacinho de pano!

Anúncios

Lençóis e Toalhas, precisa levar?

outubro 15, 2015 às 3:53 am | Publicado em Uncategorized | Deixe um comentário

images

Precisar não precisa, mas você pode levar. Eu levo meu edredon, porque não curto dormir de lençol e sou alérgica a cobertor. Mas atualmente não levo nem toalhas nem lençóis. Já levei, mas ai você mesmo que tem que lavar. Eu levava por isso, preferia a minha toalha e roupa de cama limpinhas e cheirosas.

No dia em que você chega já vai ter na sua cabine, ou vão te entregar um jogo com lençol, toalha, fronha, travesseiro e cobertor. O detergente que eles usam pra lavar isso não tem cheiro, fica o cheiro da passadeira. E toda semana você tem que trocar os lençóis e toalha no dia e hora certo, leva o sujo e pega um novo limpinho. Eu digo TEM QUE TROCAR por que na Costa havia um controle de quem ia trocar ou não, e se você deixasse de trocar duas vezes tomava uma advertência. E ainda tem a inspeção semanal de cabine, que se encontra alguma coisa suja, todo mundo que mora na cabine toma advertência.

E outra vez, isso tudo acima para quem é crew, se você é officer ou staff tem quem arrume a sua cabine, e essa pessoa troca as toalhas todos os dias e os lençóis uma vez na semana, por isso parei de levar. 😉 Só levo o edredon mesmo porque sou apegada. Rs.

Como lavar roupa a bordo?

outubro 15, 2015 às 3:27 am | Publicado em Uncategorized | Deixe um comentário

download

Pensando no básico do dia-a-dia, veio o questionamento? E como lavar a roupa suja. Bom, a roupa suja é dividida em duas: o seu uniforme e as suas roupas de uso pessoal. O seu uniforme é lavado e passado de graça. Se você é crew, tem dia e hora para levar e buscar. A escala fica na porta da lavanderia mesmo, que costuma ser nos decks inferiores, e é dividida por departamento. Normalmente fica pronto no mesmo dia a tarde, ou no dia seguinte. Como sempre há mais de um uniforme do mesmo tipo, por exemplo duas calças pretas, duas camisas tropicais, dá pra uma e colocar a outra pra lavar. Normalmente quem usa uniforme branco tem mais peças. Mas quem usa uniforme branco são os oficcers, e juntamente com eles os staff tem uma pessoa que limpa a cabine e leva o uniforme pra lavar e trás de volta. Um privilégio pago tanto por officers quanto por staff, mas é uma preocupação a menos.

A sua roupa pessoal pode ser lavada por você, nas máquinas de lavar e secar disponíveis. Mas atenção, eles não disponibilizam o sabão e o amaciante, isso é por sua conta. Pra quem nunca lavou roupa, titia ensina que se deve separar brancas das coloridas. Como a maioria das máquinas gringas usam água quente, cuidado com cashmere, lã e moletom que podem encolher muito. A máquina também detona as roupas, então eu prefiro lavar lingerie na cabine mesmo, e colocar pra secar no banheiro. Há também a opção de mandar lavar, normalmente se paga por peça, mas há promoções por saco de roupa.

Quando sair de casa, leve na mala um pouco de sabão em pó ou líquido, para as primeiras semanas. Mas não muito para não pesar muito a mala, e até porque nas primeiras semanas você vai usar basicamente uniforme mesmo. Eu levo sempre um saquinho para lavar roupas pequenas, pois as meias tendem a desaparecer na lavadora ou secadora, e também um pequeno varal de calcinhas para pendurar na cabine.

O medo do desconhecido

outubro 10, 2015 às 12:42 am | Publicado em Uncategorized | Deixe um comentário

images

Muito tem se falado nesse últimos dias sobre a Pullmantur vendendo parte de sua frota. Os boatos começaram no meio do ano quando a cia anunciou mais uma vez que o novo navio, programado para se juntar a empresa em 2016, não viria mais. O pânico e a insegurança anda tomando conta, principalmente agora com muitos embarques cancelados para esse mês. A boa notícia é que não foram todos os embarques, o meu por exemplo vai ser daqui a 10 dias, e conheço algumas pessoas que embarcam semana que vem. Mas tudo indica mesmo que os planos da Royal Caribbean é acabar com a Pullmantur, assim como a Costa fez com a Ibero recentemente.

O que pode ser uma boa coisa, uma vez que podemos ser remanejados para outras cias que pertencem a Royal, como a Azamara e a própria Royal, que tem dois dos seus maiores navios chegando ao mesmo tempo no ano que vem, o que significa a necessidade de pessoal. Bom para uns, mas não para todos, uma vez que, na minha opinião, se muita gente que trabalha embarcada e ainda tem o inglês meia boca, não vai ter vez nessa nova fase.

Como eu disse antes, tudo passa de suposições e boatos. Por hora ainda não sabemos como será o futuro da cia ou a próxima temporada brasileira, que deve começar com o Empress chegando a Salvador em menos de um mês. Aguardemos notícias mais concretas e muitas cartas de embarque para quem ainda está em casa.

Crie um website ou blog gratuito no WordPress.com.
Entries e comentários feeds.