Marido, Namorado, Peguete…

agosto 23, 2013 às 7:18 pm | Publicado em Dicas | 6 Comentários

aUma coisa é certa, se você é solteira, a pegação rola solta no navio, se você quiser a oferta é grande! O problema só é na hora de levar para a cabine. Se você mora com mais alguém, o que acontece na maioria dos casos, a coisa complica. Antes de tudo, tenha um bom relacionamento com o seu cabinmatte, coloquem todas as cartas na mesa e discutam abertamente o que pode e o que não pode. Muitas vezes, por termos nacionalidades e culturas diferentes, a coisa fica estranha. Eu já morei com todo tipo de gente. Do tipo que não se importa se tem mais alguém na cabine, e do tipo que não gosta que seu namorado sequer ligue, quem dirá entre ou durma. Mas também já morei com gente bacana, que cada uma tinha o seu namorado, ninguém se importava se o namorado da outra ia dormir lá, e sempre combinávamos os momentos para ficar a sós com o bofe.

Se você namora a mais tempo ou é casada, pode apresentar sua documentação e tentar uma cabine com o maridinho. Privacidade é luxo para tripulação, e você deve lutar por isso se acha que deve. Há cias mais flexíveis quanto a isso, mas varia também da disponibilidade de cabines. Existem barcos onde as cabines são para três ou quatro pessoas, então fica complicado colocar apenas um casal onde deveriam ter mais pessoas. E fica mais complicado ainda dormir com o namorado quando ele tem mais três cabinmattes…

No começo eu achei que ia sofre com isso, mas a gente acaba se acostumando a viver com outra pessoa, e também com o namorado dela! O melhor é sempre ter um relacionamento bom com quem você mora, para evitar constrangimentos e até brigas! E não caia nessa de só namorar chefes ou oficiais, que tem cabines melhores ou sozinhos que vai pelo mal caminho, hein? Essas são as brasileiras mais mal faladas dos barcos.

Anúncios

Meu Primeiro Dia a Bordo

agosto 21, 2013 às 7:09 pm | Publicado em Uncategorized | 2 Comentários

filas

Eu já tive quatro primeiros dias a bordo, pois são 3 contratos e mais um transfer. E ainda assim, o primeiro dia não é legal. Muita informação ao mesmo tempo, ainda mais se você é marinheiro de primeira viagem ou não conhece o barco.

Tudo começa com você, ainda em casa, preparando a sua documentação. Confira um zilhão de vezes se não está esquecendo nada, pois um papel faltando pode te mandar para casa, não importa se você atravessou oceanos para embarcar.

Depois de passar pela burocracia do aeroporto e do porto, mostrando que você está viajando a trabalho para embarcar em um navio de cruzeiros, você finalmente chega ao barquinho, e é convidado a esperar do lado de fora, até que venha a enfermeira e cheque os seus exames médicos. Se todos os exames e vacinas estão ok, ela chama a crew purse. Que vai verificar seu passaporte e outros documentos. Tudo correto? Agora sim você pode entrar no navio, carregando as suas próprias malas, é claro.

Então você vai até o Crew Office, onde vai assinar toda a papelada e receber um envelope com a sua name tag, chave da sua cabine, um livreto de vida a bordo, o calendário das coisas que você DEVE fazer no mesmo dia com locais e horários e uma folha que se chama ‘sign on sheet’. Essa folha é a bendita onde todo mundo tem que assinar para que você receba o seu crew pass, que é o seu cartão para poder sair do barco e fazer compras no bar.

A primeira saga do dia: descobrir onde fica a sua cabine! Sempre há uma boa alma para te explicar (e se tudo der certo, te ajudar com a bagagem). Segundo desafio: encontrar onde entregam o uniforme. É sempre em um lugar remoto, onde não se passa com muita frequência. Normalmente, nos andares inferiores, perto da laundry, mas há exceções.

Depois, já com uniforme, você deve se apresentar ao seu chefe de departamento, e ele vai te dizer o que fazer, de acordo com o calendário que a crew purse te deu. Se você ficar a toa, seguramente ele vai te colocar para trabalhar.

Antes no navio zarpar você deve ter a familiarização com o Safety Officer, para saber (mais ou menos) o que fazer em caso de emergência. Isso acontece no primeiro dia porque o acidente com o Concórdia, por exemplo, foi no dia de embarque. E ainda tem a familiarização com o Security Officer e o Enviromental Officer. Essas duas não são necessariamente no primeiro dia, e são essas que normalmente vão te impedir de pegar o seu crew pass no mesmo dia…

Depois dessa saga, você ainda vai trabalhar mais um pouquinho! Principalmente se você é da área de bar, restaurante ou housekeeping. Deu fome? Não esquece de procurar o crew mess! De preferência, antes de começar a trabalhar.

A primeira semana no geral é confusa. Você vai se perder muito até aprender o caminho da sua cabine, do trabalho e do crew mess. Vai ficar com uniforme sujo até descobrir que dia tem laundry. Mas o caminho do bar te juro que você aprende rapidinho…

 

O Temido Transfer

agosto 20, 2013 às 7:12 pm | Publicado em Uncategorized | 4 Comentários

Imagem

Como eu já tinha contado aqui antes, em novembro do ano passado eu embarquei no Empress. FIz o drydock, fizemos o crossing até o Brasil. E logo na primeira semana aqui no Brasil eu fui informada que seria transferida para outro navio da frota no dia seguinte, o Zenith. 

Tudo foi meio no susto, e eu deveria me preparar como se estivesse indo para casa em menos de 12h, e ainda trabalhar normalmente naquela noite no dining room. O processo é igualzinho a ir de férias, tem que devolver uniforme, receber o faz-me-rir, coletar todas as assinaturas e ir. O Zenith não seria a minha escolha devido a rota que faz no Brasil, os tão temorosos cruzeiros de três dias, mas no final das contas foi bem banaca.

Teoricamente, o transfer é uma coisa aleatória. No caso, o departamento do restaurante do Zenith estava MUITO defasado, então a cia decidiu que ia ser melhor transferir algumas pessoas do Empress e do Sovereign, aproveitando que os três navios estariam no mesmo dia em Santos, do que esperar novos crewmembers. No total, foram 6 pessoas de cada barco a ir para o Zenith.

Transfer é muito comum, por logística mesmo, mas também pode ser requisitado pelo crewmember, desde que ele tenha uma razão válida, como se o seu marido ou namorado está em um barco e você em outro. Mas nesses casos, a despesa do transfer é por sua conta. 

Mudando de Posição

agosto 15, 2013 às 7:34 pm | Publicado em Uncategorized | Deixe um comentário

casino2

Depois de três contratos trabalhando no restaurante, eu resolvi que era hora de respirar outros ares. Era mudar ou parar de embarcar. O restaurante foi muito bom para começar o caminho nos barcos, mas não era o caminho que eu queria seguir. Na Pullmantur existe um programa interno que incentiva a mudança de cargo, não só dentro do mesmo departamento mas também em outros. Todos os meses o Gerente de RH do barco coloca no mural as vagas em aberto na cia, e você pode tentar. O processo é simples, basta ter mais de um contrato na empresa e nenhuma advertência por escrito, que chamamos de warning. Você deve ter experiência comprovada na área aplicada. Depois de entregar a documentação, vem a fase de entrevistas, como num processo em terra. E depois, se aprovada, pode mudar ainda no mesmo contrato, ou quando vai para casa, volta já na nova posição.

Eu mudei de Ass. Waiter para Casino Hostess. De cassino eu não entendo muito, mas de hostess sim. Para aplicar para esse cargo eu deveria ter domínio de programas como Corel, Photoshop e Publisher, além de falar mais de duas línguas. O processo foi muito rápido, pois realmente estavam precisando no navio onde eu estava, então em poucos dias eu tinha sido aprovada e já tinha feito a mudança. No meu caso, eu mudei bem no dia que eu deveria ir de férias, então meu contrato foi um pouco mais longo do que o planejado, mas super valeu a pena. Eu fiquei os três meses requeridos como probation, e agora sou oficialmente parte do Cassino.

A Nova Pullmantur

março 24, 2013 às 9:58 am | Publicado em Uncategorized | 3 Comentários

Empress

 

Para quem ainda não viu, ou não sabe, a Pullmantur está internacionalizando sua marca. Como parte desse projeto, os barcos deixam de ser brancos e passam a ser azuis, como o Empress na foto acima. Quase toda a frota já foi pintada (menos o barco que eu estou, claro). Apesar de ser uma cia tradicionalmente espanhola, uma pesquisa de mercado mostrou que a maior parte do seu público era de estrangeiros, incluindo brasileiros. E não fazia nenhum sentido o logo da empresa ser uma letra que só existe no dicionário epsanhol, o ñ. Então, tudo mudou. A principio, achei difícil me acostumar com o barquinho azul, mas agora acho que é mais bonito desse jeito. As mudanças não foram apenas do lado de fora do barco, administrativamente, a mudança também está acontecendo. Ainda aos poucos, mas já se pode notar, tanto para quem trabalha quanto para quem está viaja com a empresa.

No próximo mês, o novo barco da frota será lançado. O Monarch, que já vai sair azul, deve fazer preferencialmente a rota mais desejada da cia, o Caribe. E ao que tudo indica, deve passar o ano inteiro por lá, enquanto os outros quatro barcos da cia, Empress, Zenith, Sovereign e Horizon, continuam se dividindo entre Europa e Brasil.

Inclusive, a Pullmantur já lançou na mídia uma mudança nas rotas feitas por esses barcos no Brasil para o próximo verão. Com quatro barcos navegando na costa brasileira, a previsão é que hajam embarques também no Rio e em Buenos Aires.

Beijo, (não) me liga…

novembro 1, 2012 às 10:35 am | Publicado em Roteiro, Rotina, Trabalho | 2 Comentários
Tags: , , , ,

 

Depois de 5 meses de férias, estou voltando para o barquinho. Hoje encaro quase 24h entre voo, troca de avião e translado até o porto de Cádiz, onde eu embarco no Empress. Para isso estou levando um livro e algumas séries para assistir no aeroporto, pois no avião eu prefiro dormir.

O Empress se encontra em drydock, que é quando o navio é tirado da água para limpeza do casco e reparos, e logo depois já vem para o Brasil, então trabalho duro mesmo só quando chegar aqui. Durante o drydock e crossing trabalhamos poucas horas fazendo inventário do material do restaurante, alguns vão trabalhar no crew mess, outros vão pintar as cabines de crew e fazer limpeza mais pesada em cadeiras, mesas, cortinas e carpetes. Nesse tempo também temos treinamento, em especial para aqueles que não são brasileiros, para aprender o menu em português. Da última vez, foram apenas 8h por dia, dividida em dois turnos, com 2h para almoço. O que é bom e ruim. Bom pois dá para descansar da maratona de avião, aprender o menu com calma e ainda pleitar uma promoção para waitress, mas ruim porque o salário é o mínimo garantido pela empresa em contrato.

No Brasil, finalmente estou livre do carnaval em Salvador. Como ano passado, o reveillón será em Copacabana. Mas o roteiro do Empress é somente para Buenos Aires e Montevideo. Lugares que eu nunca estive. E antes do navio ir embora para Europa, eu fico em Recife, para novas férias, depois de quase 6 meses. Como eu já disse aqui antes, 6 meses passam como um cometa. Já, já estou em casa de novo. Dessa vez não prometerei postas enquanto estiver fora, apesar de ter meu computador, o tempo é escasso. Mas quando voltar, em abril, estaremos aqui firme e fortes. Beijo, (não) me liga. Mas pode comentar aqui que eu vejo! Que venha a temporada brasileira!

Checklist Pré Embarque

outubro 31, 2012 às 1:34 am | Publicado em Bagagem, Dicas | 1 Comentário
Tags: , , , ,

 

Na semana do embarque faça listas e mais listas para não esquecer nada em casa. Principalmente documentos. Eu faço lista do que vou colocar na mala, lista do que vai na mala de mão, lista do que vai na pasta de documentos, lista das listas. Rs.

Primeiro e mais importante, a lista de documentos. Com alguma coisa faltando você chega até o barco, mas não entra. Não se iluda, eu já vi acontecer, e com chefia. Não há exceções. Verifique várias vezes a lista de exames, vacinas, carta de embarque, contatdo do agente portuário, passagem e passaporte.

Na mala de mão, além dos documentos, devem ir suas coisas de valor como notebook, máquina fotográfica, dinheiro, celular, uma muda de roupa (caso a mala extravie) e suas coisas pessoais, tipo chave, carteira e etc. Lembre-se que para voo internacional não são permitidos mais de 100ml de líquidos, como perfumes, cosméticos e remédios.

Na mala que vai ser despachada, primeiro verifique o peso permitido do seu voo. Normalmente, se é internacional, são duas malas de 32kg cada. Se for voo for nacional, normalmente são duas malas de 23kg cada. Lá devem ir suas roupas, sapatos e artigos pessoais (úteis e inúteis). Eu já fiz um checklist da mala aqui antes. Certifique-se de levar seus remédios de uso frequente, como anticoncepcionais. E se você usa algo prescrito, não esqueça de levar sua receita médica. Ela não vale lá fora, mas o médico do barco pode fazer outra a partir da sua, caso seja necessário comprar mais.

Refaça o checklist inúmeras vezes até a hora de sair da casa, principalmente se for o seu primeiro embarque, e ainda assim tenho certeza que você vai esquecer algo. Se for algo que se pode comprar, como escova de dente, menos mal. Mas muita atenção com a documentação. Sem havaianas ou escova de cabelo é fácil sobreviver até conseguir comprar novos, sem documentos, do outro lado do mundo, você volta para casa e tem um puta de um prejuízo…

Notícias de Além Mar

outubro 29, 2012 às 1:57 am | Publicado em Trabalho, Treinamento, Tripulantes | 1 Comentário
Tags: , , , ,

 

O inverno na Europa se aproxima, e com eles estão vindo os ventos fortes. Nessa semana, na madrugada de domingo para segunda a coisa foi esquisita no Mediterrâneo. Os maiores estragos se deram com o ferry boat Napoleão Bonaparte e com o navio de passageiros Grand Holiday. Infelizmente nada foi noticiado a respeito na imprensa, o que sabemos são relatos de tripulantes e amigos que estão nesses navios e em outros que enfrentaram ondas de 6 a 8 metros e chuva de granizo.

O ferry boat Napoleão Bonaparte, que transporta passageiros e veículos entre a ilha de Córsega e o porto Marselha se chocou contra o cais devido aos fortes ventos que romperam os cabos que prendiam a embarcação. O grande rombo no casco inundou dois compartimentos estanques, levando o navio a adernar. Dois rebocadores conseguiuram evitaram o pior. Não há relatos de feridos.

Já o navio Grand Holiday, da cia espanhola Ibero Cruceros, saiu de Livorno com destino a Villefranche, mas devido ao mau tempo, desviou para Barcelona, mas não conseguiu evitar a tempestade. Ventos de mais de 100km/h fizeram o navio tombar para o lado direito, onde as janelas até o deck 7 pareciam estar debaixo d’água, acionando o alarme de emergência. As providências começaram a ser tomadas pela tripulação, ajudando os passageiros a seguir para o local correto com colete e roupas quentes. Mas, graças a Deus, foi só um susto. O navio chegou a Barcelona com atraso, mas em segurança. Alguns passageiros e tripulantes se feriram, mas ainda não há qualquer tipo de informação oficial.

O Sovereing, da também espanhola Pullmantur, não conseguiu chegar até La Goullete, na Tunisia, e rumou direto para Nápoles. O Zenith, da mesma cia, trocou a rota, e permaneceu no porto para evitar a tempestade. Assim como muitos outros barcos que estão amigos. A previsão do tempo para essa semana que se inicia é pior. Muita chuva, vento e frio. Só nos resta torcer para que Deus proteja nossos amigos e companheiros de trabalho.

Coisas de Mulher

outubro 14, 2012 às 5:40 am | Publicado em Dicas, Rotina | 4 Comentários
Tags: , , , , , ,

Mulher sofre. Todo mundo sabe, principalmente as mulheres. E a preocupação das mocinhas quando estão prestes a embarcar pela primeira vez sempre gira em torno das mesma coisas. Cabelo, depilação, sobrancelha, unha e etc. Vou tentar esclarecer algumas dúvidas aqui, mas se restar alguma, não hesitem em me perguntar!

Cabelo

– a água que sai do chuveiro normalmente é água do mar tratada, ou seja, ela ainda tem um pouquinho de sal. Então deixa o cabelo uma palha só. Para ajudar a melhorar o picumã, eu levo sempre produtos rápidos e eficientes, como aquela ampola de 3 minutos da Pantene. É barato e dá um mega resultado. Se você está na Europa ou nos EUA, eu recomendo a linha de tratamento profissional da L’Oreal, que é baratinha.

– sobre secador e chapinha, a segunda é proibida na maioria cias, devido ao perigo de incêndio, mas já vi muita gente usar. O secador normalmente é liberado, até porque, eles exigem que a gente fique, no mínimo, apresentável, e no meu caso, sem secador, não rola. Só cuidado com a voltagem. Eu deixei minha cabine e parte do corredor sem luz (duas vezes) por ligar um secador 110v numa voltagem 220v. A maioria dos navios tem ambas, mas a que mais usamos é a de 220v. Na dúvida, opte por aparelhos bivolts.

– se você usa cabelo curtinho, que precisa de manutenção de dois em dois meses, cuidados aonde você vai cortar o cabelo. Você pode cortar no spa do barco, mas os profissionais são, em sua maioria, estrangeiros, e pode rolar uma falha na comunicação em outra língua, gerando um desastre. Eu corto o cabelo somente com uma pessoa em terra. Ele faz um corte médio, que fica bom preso ou solto, e cresce bem sem precisar de manutenção.

– se você pinta ou faz tratamentos químicos, a solução é levar o produto, se for extremamente necessário. Senão deixe para fazer quando voltar. Eu relaxo o cabelo, e no meu primeiro contrato, com quase 6 meses tive que fazer na Espanha, até porque tinha mais 3 meses pela frente, e dei muita sorte pois encontrei um salão bacana, que fez um tratamento muito bom nas minhas madeixas. Se você pinta o cabelo de loiro, com certeza seu chefe vai reclamar da raiz aparecendo. Se for algo mais discreto, refaça quando voltar para casa no seu salão de confiança.

– a maioria das posições fica com o cabelo preso num coque 100% do tempo que está on duty. As cias curtem os cabelos bem presos. Se seu cabelo é repicado, leve tic tac, grampos e presilhas, sempre em cores discretas, nada de cores fluorescentes. Se trabalha com comida, providencie a redinha. Se o seu cabelo é do tipo rebelde, leve também gel ou laquê. Os acessórios não são sempre permitidos, mas ainda assim leve arcos, headbands e flores. Pode ser útil, ao menos para seu horário livre.

Depilação

– quem costuma usar cera, fora do Brasil é mega difícil de encontrar um salão que faça, ou até a própria cera para fazer você mesma. Se você já tem o costume de fazer em si mesma, leve um mini estoque para garantir. Eu fazia com cera, mas não tenho a menor vocação para fazer sozinha. A solução foi me virar na gilete até comprar aquele depilador elétrico. Dói como cera, mas é melhor que raspar. Faço axila, pernas e virilha com eles.

– as sobrancelhas eu faço sozinha, mas sempre dá pra fazer de vez em quando no spa do navio, isso é mais seguro, pois eles tem um mega cuidado para não fazer porcarias. Além de ser baratinho.

Unhas

– para a maioria das posições, não são permitidos esmaltes de cores que não sejam nude ou renda. Mas as unhas devem estar cortadas e feitas. No restaurante e housekeeping, que mexe muito com água, o esmalte, mesmo discreto, não dura nada. Então eu sempre mantinha minhas unhas curtas e somente com base. Eu mesma que fazia, mas tinha a opção do spa e de algumas outras tripulantes que faziam cobrando um preço mais digno.

– como eu mesma que faço as minhas unhas, e fico sempre de sapato fechado, sempre levo uma lixa de pé daquelas potentes, um esfoliante bom e um creme eficiente, porque o pé fica que só lixando com caco de telha.

Maquiagem

– a maquiagem é sempre muito discreta, com exceção das bailarinas. Nada de cores berrantes, principalmente nos olhos. Quem trabalha a noite na boate e no teatro normalmente exagera um pouco mais, mas ainda é bem discreto. Invista em bases, corretivos (as olheiras agradecem), rímel, lápis preto, sombra preta e batons nude. Nada muito além disso.

Jóias

– especialmente quem lida com comida, as jóias são bem reduzidas. Nas mãos somente aliança, nada de pulseiras e brincos pequenos. Somente um brinco por orelha, nada de piercings em lugares visíveis. Para o pessoa da animação e oficiais é mais tranquilo usar pulseiras, anéis e brinco um pouco maiores, mas sem exagero.

Saúde

– absorventes sempre existem para serem comprados a bordo. Bem como camisinhas. Mas eu gosto de levar a marca que eu uso na mala.

– anticoncepcionais, e qualquer outro tipo de remédio, mesmo um para dor de cabeça ou cólica, são difíceis de comprar fora do Brasil sem receita médica. Se vai passar muito tempo fora do Brasil, leve seus remédios habituais na bagagem na quantidade suficiente para o contrato + 1. Essa é a minha conta das pílulas. Contrato de 6 meses, eu levo para 7 meses.

– se você precisa de óculos, opte por uma armação simples ou pelas lentes de contato. Eu uso lentes, mas sempre carrego meus óculos. Além de pares extras de lente e um par extra de óculos para qualquer eventualidade. Uma das meninas que morou comigo, perdeu o único par de óculos que ela levou e passou aperto.

– como passamos muitas horas de pé, independente da posição, quem tem uma tendência a ter varizes, melhor investir naquela meia-calça de compressão para evitar as malditas. Eu nunca tive problemas, dois contrato e nenhum vazinho ou varize.

Falta pouco!

setembro 28, 2012 às 1:53 am | Publicado em Notícias | 1 Comentário

« Página anteriorPróxima Página »

Blog no WordPress.com.
Entries e comentários feeds.